Estudar fora: 13 países com universidades gratuitas ou com bolsa de estudos para brasileiros



Você já sonhou em estudar fora?

A oportunidade está mais próxima do que você imagina. Muitas universidades estrangeiras disponibilizam bolsas de estudo com até 100% de desconto para brasileiros ou essas são, em sua maioria, instituições públicas e gratuitas e que se paga somente na hora de fazer matrícula.

A experiência de ir a outro país pode trazer inúmeros benefícios ao estudante e pode também se tornar um diferencial em sua carreira profissional. A concorrência no mercado internacional está cada vez maior e o profissional que morou fora pode ter uma visão mais ampla do que quem não teve essa oportunidade.

Porém, as bolsas são bastante competitivas, então é fundamental ficar atento aos prazos e exigências dos editais de cada universidade, pois as aulas iniciam normalmente entre agosto e setembro. Uma alternativa às bolsas de estudo, são as universidades públicas e gratuitas oferecidas em alguns desses países.

 

Separamos para você países com universidades excelentes e que oferecem graduação gratuita ou com bolsa:

 

  • Canadá

O Canadá disponibiliza dois tipos de bolsas de estudos para estrangeiros em seu território: o Scholarships for non-Canadians oferece uma série de possibilidades para alunos brasileiros interessados em iniciar pesquisas ou uma pós-graduação e o Emerging Leaders in America Program, que disponibiliza oportunidade de intercâmbio de curta duração para pesquisa ou estudo – graduação e pós-graduação.

Alguns exemplos de universidades canadenses que oferecem bolsa de até 100% de desconto, são: a Universidade de British Columbia, com inscrições abertas no último trimestre do ano e a Humber College, que é considerada uma das melhores do Canadá, abre suas inscrições em maio.

 

  • França

A França é constituída, em sua maioria, de universidades públicas, baratas e de qualidade chamadas universités e écoles. Mas, para você entrar nessas universidades, você precisa saber a língua francesa. Caso não saiba francês, existem as opções de universidades particulares, com mais 80 cursos de graduação, mas pagas e com valores que chegam a 12 mil euros.

O universitário, de acordo com o governo francês, precisa de 430 euros por mês para se manter no país. Alunos internacionais podem trabalhar até 964 horas por ano, na França.

Ademais, a Sciences Po oferece a oportunidade de bolsa de estudo pelo programa Emily-Boutmy Scholarshipque disponibiliza ajuda de 16 mil euros e que devem pagar 3 anos de anuidade e custo de vida no país. As inscrições para a instituição abrirão do mês de janeiro até maio.

 

  • Austrália

As bolsas de estudo por mérito, concessões e subsídios, na Austrália, são oferecidas pelo governo australiano, por outras instituições públicas e particulares do país.

Monash University possibilita bolsas de acordo com o desempenho acadêmico do aluno, ela apenas cobram o pagamento simbólico da anuidade.

 

  • Bélgica

O programa para estrangeiros VLIR-UOS Scholarships, possibilita uma bolsa de mestrado em uma instituição de ensino da Bélgica. As bolsas de estudo na Bélgica são integrais e oferecem dois tipos de benefícios: o Programa de Treinamento, que cobre seguro, alojamento, viagens internacionais e taxa de matrícula e o Programa de Mestrado, que dá subsídio para salário-família, seguros, alojamento, viagens internacionais e taxa de matrícula.

 

  • China

Bolsas de estudo de graduação, pós-graduação e especialização, são oferecidas anualmente pela Embaixada da República Popular da China no Brasil, para alunos estrangeiros estudarem na China, sem demais complicações.

 

  • Alemanha

A Alemanha se diferencia por oferecer cerca de 800 programas de pós-graduação ministrados em inglês, o nome desses programas é Development-Related Postgraduate Courses, coordenado pelo DAAD (Deutscher Akademischer Austauschdienst). O custo é integral ou parcial para cursos nas áreas de engenharia, saúde pública, medicina veterinária, planejamento urbano, administração etc.

Os alunos de graduação não pagam nenhum tipo de anuidade para as universidades alemãs, só os de mestrado que pagam um valor simbólico que varia de estado para estado. Aqui você encontra informações sobre os valores cobrados por todos os estados alemães.

Apenas para os doutorados e PHD’s, que pode haver uma cobrança no valor de 150 a 200 euros por mês. Como a maioria destes estudantes possuem um projeto de pesquisa remunerado ou recebem bolsas de estudo, esse valor não será muito significativo.

O país alemão também não é muito caro para se viver. Com transporte, acomodação, alimentação e despesas gerais, um estudante gasta em média de 500 a 700 euros.

 

  • Suíça

O governo Suíço disponibiliza bolsas de estudos exclusivas para estudantes do Brasil: doutorado, pós-doutorado e pesquisa. Essas bolsas são conduzidas pelo órgão denominado State Secretariat for Education, Research and Innovation (SERI).

 

  • Finlândia

Na Finlândia, a Universidade de Vaasa contribui com um programa de dois anos para 20 alunos estrangeiros morarem na região e estudarem no mestrado de gestão intercultural e comunicação. O curso expõe sobre a formação das identidades culturais e como elas foram criadas. A bolsa é integral, porém o estudante tem que pagar uma taxa 142 euros por ano para a União dos Estudantes.

 

  • Itália

O programa Invest Your Talent in Italy, da Itália, oferece bolsas de estudo de pós-graduação e MBA para pelo menos 24 universidades da região e 130 cursos diferentes. As inscrições devem ser feitas até 28 de fevereiro do ano que vem.

Responsável pelos programas de bolsa do país, o Ministério das Relações Exteriores exige que o estudante tenha proficiência na língua italiana e saiba a cultura regional. Brasileiros que tenham esse diferencial, podem fazer pesquisas em museus, arquivos, bibliotecas, laboratórios e centros italianos.

O programa UNIBO Azioni 1&2, da Universidade de Bolonha, disponibiliza bolsas de estudo e isenção de taxas para estudantes estrangeiros de graduação e pós-graduação. As inscrições para ambas as modalidades com ciclo único vão até 30 de abril.

A própria Universidade de Bolonha também promove o consórcio universitário ICON (Italian Culture on the Net), para alunos que não moram na Itália, estudarem o primeiro ano da graduação em língua italiana on-line.  As inscrições vão até 26 de fevereiro.

Também é importante consultar o site do consulado italiano no Brasil, pois há a divulgação atualizada de diversas bolsas de estudo na Itália.

 

  • Nova Zelândia

Na Nova Zelândia, o programa de bolsas de estudos para brasileiros, é focado em desenvolvimento da agricultura e energia renovável. Este programa, chamado New Zealand Scholarships, oferece desconto para mestrado e doutorado.

University of Canterbury contribui com bolsas de estudos de até 20 mil dólares, é o programa UC International First Year Scholarship. Saber inglês é pré-requisito para fazer a graduação na instituição. As inscrições para o programa desta universidade vão até o mês de agosto.

 

  • Reino Unido

As bolsas de estudo Chevening, são uma iniciativa do governo britânico para o ingresso de alunos estrangeiros no país. Não há uma área específica. Universidades como OxfordCambridgeDurham e Exeter são algumas das instituições participantes. A bolsa possui o valor de 13 mil libras esterlinas (60,39 mil reais).

University of Westminster possui bolsas de estudo para países em desenvolvimento. O Brasil faz parte desta lista. A universidade arca com todas as despesas do aluno no país (acomodação, passagens aéreas, anuidade de graduação e manutenção do aluno no Reino unido). Existe um processo de submissão da candidatura, para saber mais sobre quais os documentos necessários, clique aqui. As inscrições vão até o dia 31 de maio.

 

  • Estados Unidos

Nos EUA, a Fullbright Brasil disponibiliza para as Community Colleges bolsas de estudo para cursos de pós-graduação, professores, pesquisadores e doutorados em ciência, tecnologia, engenharia, produção cinematográfica etc.

American University oferece bolsas de estudo para cursos de graduação. O programa AU Emerging Global Leader Scholarship disponibiliza um valor de até 61 mil dólares em benefícios como: anuidade, acomodação e alimentação. A candidatura baseia-se no envio de comprovante de proficiência, histórico acadêmico e cartas de recomendação. Também é preciso preencher um formulário pelo site e comprovar fundos de no mínimo 4 mil dólares. As inscrições podem ser realizadas no mês de novembro.

 

  • Noruega

As universidades da Noruega não cobram por anuidade ou padrão de qualquer aluno, incluindo os internacionais. Os alunos pagam por uma taxa semestral de manutenção que vai de 300 a 600 coroas, ou seja, 230 reais. Valor simbólico se compararmos com a taxa de universidades americanas ou inglesas.

Porém, o custo de vida na Noruega é considerado um dos mais altos do mundo. O estudante, de acordo com portais educacionais, gasta em média de 7 a 9 mil coroas por mês, equivalente a aproximadamente 3 mil reais.

Há diversas opções de cursos em inglês no país, em pós-graduação, a Noruega possui o diferencial de mais de 600 cursos. Acesse o site e saiba mais.

Quer complementar os seus estudos com cursos de qualidade e com professores renomados? Acesse nossos cursos online clicando aqui.


Comentários

Sem Comentários